O Cálice: Responsabilidade Populacional


Olá galera, como vamos? Consegui voltar na quinta-feira para falar de política. Já está se acostumando com este termo sem ter calafrios? Espero que sim! Hoje eu decidi não falar sobre nada que tenha acontecido nos últimos dias, na verdade acontece há muito tempo e muitos de nós gostamos, claro que estou falando sobre chocolate. Vim falar sobre democracia, BUUUUU, isso mesmo!

Estava eu assistindo a um capítulo da minissérie global, O Brado Retumbante. A minissérie tem como protagonista Paulo Ventura (Domingos Montagner) eleito presidente de um Brasil fictício da noite para o dia e tem como meta política acabar com a corrupção. Nem preciso falar que ele acaba sendo alvo dos políticos corruptos, sofrendo inclusive um atentado. Enfim, o que pega é que em determinado capítulo o presidente resolve criar uma lei de Responsabilidade Pública, que considera crimes cometidos por políticos, agentes do governo e funcionários muito mais graves do que se cometidos por cidadãos comuns, lógico que ele visa pegar os políticos corruptos. O que acontece é que a lei ganha aprovação imediata da população que vê o seu direito sendo defendido por uma autoridade, porém, quando a lei vai ser votada na câmara, os políticos não a aprovam (não é de interesse deles ter punição maior pelos crimes que cometem) mesmo havendo inúmeros protestos da população e grande mobilização.  É triste, frustrante, mas faz parte da democracia, né? Bom, poderia ser diferente… QUÊ, RENATA? VOCÊ É CONTRA A DEMOCRACIA? NÃO! Não sou contra a democracia, eu só não sou muito à favor da democracia representativa, que é o regime de governo escolhido para o nosso país. Enfim, melhor do que ditadura certamente ele é, mas muitas vezes ele passa uma impressão de falsa democracia. Nós votamos nos políticos que nós queremos, com certeza fazemos, mas a partir do momento em que o ser é eleito ele tem a liberdade de fazer o que quiser, ajudando ou não, ele vai passar uns bons anos nos “representando” no congresso. Você realmente acha que um político com milhões de privilégios sabe exatamente o que a população precisa? Não, ele não sabe e muito provavelmente ele só irá atrás de leis, ou mudanças que sejam de seu benefício ou de benefício para os que o cercam… Enfim, a cada dois anos nós somos intimados (isso mesmo, somos intimados) a votar em alguém que vai representar (ou não) as nossas vontades e necessidades, como isso é muito difícil de mudar, a responsabilidade cai toda em cima da gente, está entendendo agora o porque eu digo tanto para criarmos consciência política? Nós raramente pesquisamos em quem vamos votar, você parou para pensar que parar um pouco para fazer esta pesquisa pode mudar muito a nossa situação política? Largue um pouco o facebook, 9gag, twitter e fins e crie esta consciência, só fará bem para você e para os outros milhões que residem nesta nação.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s