O Cálice: Mexa-se


Olá, boa noite. Hoje falaremos de política, blablablawhiskassacheblablabla… Tenho certeza que você parou de ler depois da palavra “política”. Ela choca, né? Mas não se assuste, pessoa, aqui você vai começar a adorá-la, believe me!

Sabe aqueles momentos em que alguém puxa este tipo de assunto e você só concorda porque não faz idéia do que estão falando? Esses tempos mudaram ,meu querido Vera, agora você vai opinar, criticar, acrescentar e discordar do que disserem, talvez você perca uns amigos por aí, mentira, seus amigos vão te idolatrar e sempre vão querer saber o que você pensa sobre esta palavra maldita: política!

Sabe o que mais você vai começar a fazer? QUESTIONAR, pois é, questionar, e é isso o que os governantes temem: pessoas que questionam. Pessoas deste tipo provavelmente já têm os olhos bem abertos ao que ocorre na política brasileira e sim, elas começam a se mexer contra isso.

Protestar é um direito do cidadão brasileiro, pois vivemos em uma democracia não muito democrática diga-se de passagem, todos nós podemos sair às ruas para buscar o que nós achamos que seja certo! Hoje mesmo, em São Paulo, ocorreu um protesto pela diminuição da passagem do ônibus, não somente pela diminuição, o protesto levou a ideia do “passe livre”, já que ir e vir é um direito de todos e não deve ser cobrado. O serviço de ônibus é terceirizado, ou seja, uma empresa contratada pela prefeitura presta este serviço, explicando, então, a cobrança da tarifa de ônibus, visto que a empresa não presta este serviço de graça, mas e se os ônibus e seus serviços ficassem somente a cargo da prefeitura? não precisaria ser cobrado, né?  já que pagamos impostos demais! Este foi outro item mencionado no protesto.

O protesto, que foi organizado pelo facebook, começou na porta da prefeitura de São Paulo e foi até a porta da Secretaria de Transportes, a caminhada foi embaixo de chuva e feita em meio a muitas músicas e mensagens de conscientização, tinha cerca de 150 pessoas, apesar de não ser um grande número, fizemos barulho! Estou rouca, não conseguia mais gritar, mas mesmo assim continuei, todos continuaram. A polícia esteve presente o tempo inteiro, mas não se manifestou, observava e tentava controlar o trânsito por onde passávamos, o que foi um alívio, já que eu não estava afim de tomar bala de borracha! Hahahaha.

É muito emocionante estar no meio de um protesto, ainda mais quando é por algo que é pela melhoria de todos, sério, arrepia! Você olha pros lados e vê uma galera gritando contigo e pensa “não estou sozinho, tem gente que está vendo o que acontece, vamos fazer tudo valer a pena”. Bom, espero que realmente valha a pena, pelo menos estamos fazendo a nossa parte, e pode ter certeza de que os governantes se sentem incomodados quando vêm algum tipo de mobilização. E você? está começando a abrir os olhos? Se empolgou para ir ás ruas em busca do que é seu por direito? Consegui fazer uma luzinha se acender aí dentro? Espero que sim, pois este é um dos objetivos desta coluna. Se você se sente parte de algo importante e quer fazer a diferença só digo uma coisa: mexa-se.

Galera rumo à Secretaria de Transportes

2 respostas em “O Cálice: Mexa-se

  1. Hm, muito bom o ponto de vista. Entretanto, já se perguntou como seria a qualidade dos ônibus e dos serviços prestados por esses se não fossem privatizados? Quanto mais privatizações existirem, melhores os serviços e mais empregos gerados.

    • Oi Esther, tudo bem? Concordo com o seu ponto de visto quanto às privatizações ja que é uma forma de abrir concorrência o que gera maior produtividade, mas creio que não se aplica neste caso, visto que, o nosso direito de ir e vir não pode ser administrado por uma empresa terceirizada, se fosse um serviço estatizado a prefeitura, certamente, teria de tomar certos cuidados com fiscalização e manutenção, visto que, seria a permanência própria gestão em vigor que estivesse em questão caso estes serviços não fossem cumpridos, eu vejo a privatização NESTE CASO, como uma forma da própria prefeitura de lavar as mãos quanto a estes problemas e distancia-los de suas gestões e também não acredito que haveria tantos problemas com empregos neste caso, visto que, a prefeitura teria de contratas diretamente empregados para fazer estes serviços. Enfim, só a minha opinião.

      Obrigada pelo comentário! Espero que você visite esta coluna todas as quintas-feiras para poder opinar!

      Att.

      Renata

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s