Covers e sons familiares: a música mais copiada do mundo


Quando você tem certeza que já ouviu aquela música em algum lugar. Quando uma melodiazinha ou um riff te parece tão familiar que você se pergunta se foi algum músico recente que criou ou se já tava aí quando Deus criou Adão e Eva. Quando você pode cantar a música toda no embromation sem conhecê-la. Ou quando tanto artista já cantou aquela merda que você nem aguenta mais.

Venho aqui hoje pra falar de covers. Eu estou começando a acreditar na teoria de que nada mais nesse mundo é inédito, não é fácil pensar numa harmonia ou numa combinação de acordes que nunca tenha sido usada por outra banda. Então a maioria das nossas bandas clássicas de rock simplesmente pegaram uma música de uma grande banda estrangeira e gravaram sua versão com letra em português. Nessa leva estão Capital Inicial, com O Passageiro (música original de Iggy Pop) e Ultraje a Rigor, com Eu Não Sei (música original de The Who), por exemplo. Compare você mesmo.

Pra comemorar toda essa história linda, eu trouxe aqui a versão original e os “melhores piores” covers da música que eu considero a mais copiada e conhecida de todos os tempos. D’yer Mak’er foi gravado pelo Led Zeppelin em 1973, do disco Houses Of The Holy. É uma das poucas músicas deles em que todos os integrantes participaram da composição. A curiosidade é que o Led não faz reggae, como você deve saber, mas como talento não faltava, quando fizeram… se tornou um hino, uma faixa obrigatória para qualquer seguidor de Jah nessa planeta. Veja a versão original, me diz se você nunca ouviu isso.

Agora começa o show de horrores, vou por ordem de choque. Na minha procura por versões alternativas, achei coisas no mínimo interessantes. Pra começar Lady GaGa antes de ser famosa (como diria o comentário no vídeo, é como ver Tom Riddle antes de ser Voldemort), que sem dúvida é talentosa, tem bom gosto e não decepcionou na tentativa:

Agora uma que acho que eu ouvi antes de conhecer a original, para a minha infelicidade… Claudia Leitte fazendo a versão axé:

Se preparem agora, vem aí um gordinho simpático. A primeira vez que eu ouvi isso pensei ‘ah não, mais uma não… ah não, Sean Kigston não!’. Ouça o famoso refrão roubado e completamente descontextualizado agora em versão pop:

EM PRIMEIRO LUGARRRRR! Essa eu deixei por último porque sem dúvida foi um achado, um web hit. Tava lá procurando até que finalmente encontrei uma versão realmente tosca! Tive que trazer aqui pra vocês só mesmo para render boas risadas. Unlimited Phlavor e sua versão em ritmo latino:

Bom, chega né. Quando ouvirem uma novidade no rádio, analise: se for uma boa melodia no meio de batidas eletrônicas, desconfie. A maior parte delas provavelmente faz algum bom músico dos anos 50 se revirar no caixão.

P.S.: Um beijo pro meu amigo Thiago, que me ensinou tudo que eu sei sobre o assunto.

3 respostas em “Covers e sons familiares: a música mais copiada do mundo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s